Caixa de pesquisa

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

OVNI aparece durante filmagem de teste automotivo


OVNI durante teste automotivo
Antes de mais nada, para os que recém chegaram até o nosso site, vamos deixar claro que OVNI não significa ‘nave alienígena’ ou ‘ disco-voador’, mas sim Objeto Voador Não Identificado.

Assim, seja lá o que for que aparece neste vídeo, ele deve ser classificado como OVNI, pois está voando, e não foi identificado até o momento.

Desta forma, tentando mudar este fato, postamos o vídeo aqui para que nossos leitores talvez possam nos elucidar quanto a origem deste misterioso objeto, que definitivamente não é um pássaro, dada a sua velocidade e ao fato de não estar batendo asas.

Entre 7 e 9 segundos, o objeto voador passa rapidamente pela cena.  O interessante deste vídeo é o fato de que ele está publicado focando no teste automotivo, e em nenhum momento se fala do objeto.  Assim, a probabilidade é enorme de que o vídeo seja legítimo.

Agora resta saber o que é este objeto.  Alguém se arrisca dizer?


Fonte: Ovnihoje.com

Estaria Marte em perigo de colisão com cometa?

Estaria Marte em perigo

Em vista de numerosas informações sobre as ameaças provenientes do espaço cósmico – passagem de um asteróide nas proximidades da Terra, a queda de meteoritos, – é pouco provável que uma notícia do mesmo gênero provoque preocupação do público.

Pois neste caso se trata não da Terra, mas de Marte: em outubro do ano que vem um grande cometa pode colidir com este planeta. A fulguração do golpe será vista muito bem da Terra desde que a colisão se dê no lado de Marte que dá para a Terra. Neste caso no Planeta Vermelho vai ficar uma cicatriz – um cratera de uns 500 quilômetros de diâmetro.

O cometa C/2013 A1 foi descoberto em 3 de janeiro deste ano por um observatório australiano. A seguir, os americanos conseguiram encontrá-lo nas fotografias mais antigas, o que permitiu calcular com mais precisão a sua órbita. Soube-se que o trajeto do cometa cruza com o trajeto de Marte. Na base da sua luminosidade foi calculado que o seu diâmetro deve superar várias vezes o diâmetro dos outros cometas – ele chega a 50 quilômetros e a colisão, – caso se realize, – será grandiosa.

Os astrônomos assistiram a um fenômeno semelhante em 1994, quando o cometa Shoemaker-Levy caiu na superfície do Júpiter. No momento da sua aproximação a gravitação forte deste planeta dilacerou o cometa em pedaços e a entrada de cada um deles na atmosfera provocava uma fulguração forte. O momento do evento foi calculado de antemão, com precisão de segundos. Embora no momento da colisão podia ser visto da Terra apenas o lado oposto de Júpiter, todo o espetáculo foi gravado pelo aparelho Galileo da NASA que observava o planeta do lado. 

Algumas horas depois o lado “ferido” do Júpiter virou para a Terra e todos viram gigantescas cicatrizes de cor vermelho-escura, que existiram durante várias semanas. Isto surpreendeu os cientistas pois se sabia que em Júpiter não existe a superfície firme.
A queda de um grande corpo sobre o Marte também seria muito interessante para a ciência, – afirma o chefe de um dos departamentos do instituto de astronomia da Academia de Ciências Russa Dmitri Vibe.

A colisão permitira lançar luz sobre o enigma dos meteoritos marcianos. Pois, na Terra são encontrados meteoritos que quanto aos seus parâmetros fazem lembrar a substância marciana. Não se compreende, como esta substância podia sair voando da superfície de Marte. Se a colisão se der, poderemos assistir a este processo em ação. No plano de problemas de perigo, representado por asteróides e cometas, seria interessante ver, como se realizam semelhantes fenômenos num corpo, cuja massa difere pouco da massa da Terra“.

Oleg Malkov, chefe de um dos departamentos do Instituto de Astronomia junto da Academia de Ciências Russa, chamou a atenção para o fato de que nos principais portais astronômicos, como, por exemplo, space.com não se fala nada sobre a futura colisão do cometa com Marte…

Porém, o site Apolo 11 publicou ontem que “novas observações do deslocamento do cometa C/2013 A1 mostram que a aproximação do objeto da superfície marciana será muito mais próxima da que foi calculada anteriormente e as chances de impacto contra o Planeta Vermelho já não podem mais ser descartadas.

De acordo com o Apolo 11, até alguns dias atrás a menor aproximação estimada do cometa pelos modelos orbitais era de cerca de 900 mil km de Marte, que ocorreria no dia 19 de outubro de 2014.  Porém, de acordo com os novos cálculos, o cometa C/2013 A1 poderá se aproximar até 37 mil km do planeta vermelho.]

Os novos números foram divulgados pelo astrônomo amador Leonid Elenin (lembra o cometa Elenin?), que é ligado ao Instituto de Matemática Aplicada da Academia de Ciências da Rússia.  Os cálculos foram levantados com uma série de observações feitas por imagens registradas por um dos telescópios robóticos da rede ISON, localizado no Novo México, EUA.
n3m3

Fonte: A Voz da RússiaApolo 11 & OvniHoje.com

Colaboração: Sel, Dan Pazio, Mari Melgaço

Meleca encontrada em reserva florestal britânica é associada à chuva de meteoros

meleca encontrada após explosão de meteoro
O site britânico www.ibtimes.co.uk reportou que pesquisadores estão examinando uma misteriosa gosma em uma reserva florestal de Somerset, a qual pode estar relacionada com o meteoro que passou por sobre a Rússia, há milhares de quilômetros de distância de lá.

De acordo com o site, a meleca translúcida, que parece “algo vivo”, foi descoberta por amantes da natureza em uma reserva florestal.  As teorias sobre o que esta gosma possa ser, vão desde “fungo de cérebro cristalizado“, até os restos em decomposição de um sapo morto.

A meleca teria aparecido por toda a reserva e o gerente do local, Steve Hughes, disse: “Seja lá o que for, é muito estranha. Na última semana encontramos montes de geléia translúcida espalhados por toda a reserva.  Sempre por sobre as áreas gramadas, longe da água.  Os montes geralmente têm 10cm de diâmetro.  Perguntamos a alguns peritos o que poderia ser, mas ninguém tem certeza.  Seja lá o que for, é muito estranho“.

O folclore local diz que esta substância sempre aparece após a passagem de meteoros.  Manifestações anteriores desta datam do século XIV.  Durante aquele período, a meleca era chamada de “star jelly“, “astral jelly“, ou até mesmo “astromyxin“.

O porta voz para a Sociedade Real para a Proteção dos Pássaros, Tony Whitehead, disse: “No folclore é dito que isso é depositado em uma chuva de meteoros. É excelente que ainda nesta época ainda há mistérios lá fora. A equipe da nossa reserva irá procurar a gosma nas próximas semana, mas se alguém puder oferecer alguma explicação, ficaríamos contentes em escutar“.

Criatura estranha é encontrada morta em praia do Reino Unido

monstro

Esta misteriosa criatura foi encontrada em uma praia de Tenby no final de semana, no Reino Unido.
Esta é uma das fotos tiradas por Peter Bailey, de 27 anos de idade, que estava caminhando pela praia com sua cachorra no final da tarde de sexta-feria.
Ele disse: “Eu estava levando minha cachorra para sua caminhada do final do dia pela praia sul, quando ela começou a agir estranho, uivando e correndo em círculos.  Eu corri até ela para ver se ela bem e então me deparei com esta carcaça de aparência horrível.  Eu pude ver um pouco de pelo no corpo em decomposição.  Imediatamente pensei se tratar de um cavalo, mas ela tinha garras como a de um urso e um corpo de porco.  Surpreendentemente ela não fedia“.
Alguém tem alguma idéia do que possa ser esta criatura?
n3m3

Marte: um lugar apto para abrigar a vida


MarteA vida em Marte pode existir, ou, pelo menos, as condições naquele planeta se mostram suficientemente adequadas para que as bactérias sobrevivam.
Assim confirmou um grupo de pesquisadores em uma conferência científica que foi organizada pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles, nos EUA.  Os cientistas analisaram os dados obtidos pela nave espacial Mars Reconnaissance Orbiter e fizeram um estudo comparativo das condições ambientais entre a Terra e Marte.
Foram examinados lugares marcianos parecidos com os de nosso planeta, similares à Antártica e ao deserto do Atacama no Chile, e os cientistas demonstraram que as bactérias são capazes de sobreviver em ambientes muito frios e secos.  “Por esse motivo não podemos excluir a possibilidade de que Marte seja apto à vida“, sustentou Alfred McEwen, da Universidade do Arizona, chefe da investigação.
Segundo os peritos, em algumas regiões de Marte durante a primavera e o verão podem ocorrer riachos salgados pelas encostas e também identificaram pelo menos 16 locais propícios à essa ocorrência dentro do Valles Marineris, que é um cânion com enormes despenhadeiros, 10 vezes maior do que o Gran Cânion nos Estados Unidos.
Os investigadores não podem dizer com absoluta certeza que a água salgada marciana é realmente adequada para a existência de micróbios, mas crêem que o jipe-sonda Curiosity possa ajudar a dar uma resposta à esta pergunta.
n3m3